Revista Galaxy: A história da maquiagem

04 outubro 2013

A história da maquiagem



“A maquiagem é uma arte ancestral, encontrada até mesmo entre os homens primitivos, os quais já usavam essências na epiderme. A maquiagem consiste na aplicação de cosméticos com intuito de embelezar, mas em várias culturas ela tem finalidades cerimoniais e religiosas.”


Podemos notar pinturas artísticas nos corpos de nativos americanos e de aborígines do continente africano. Mas foi no egito que a maquiagem ganhou caráter estético, já que antes tinha um lado mais cultural. A maquiagem era tão importante no egito que os faraós mantinham a crença na preservação da beleza mesmo depois da morte, acreditando que deveriam estar perfeitamente embelezados ao ressuscitarem; assim, também os mortos eram maquiados.
Diferente de antigamente hoje a maquiagem está totalmente relacionada, e influenciada á moda e estética. Mas segundo um dos maiores maquiadores brasileiros, Aguinaldo Silva Leandro, esta técnica não deve se submeter ao mundo ‘fashion’, e sim oferecer a cada um o máximo bem-estar possível. Já que a maquiagem tem um lado que tem como objetivo trazer o bem estar. Seguindo a logica que pessoas maquiadas se sentem seguras, pessoas seguras tem um maior bem estar.

Aos poucos as técnicas de maquiagem e seus derivados, os objetos usados para aplicação estão aumentando. Hoje se encontra um nível muito maior de aplicadores e tipos de maquiagem no mercado.

Vaidade ancestral

Três dos principais produtos de beleza já existiam na Antiguidade

Sombra

A mais antiga das maquiagens era usada pelos egípcios milênios antes de Cristo, conhecida como kohl. Fragmentos desse pó escuro - uma mistura do mineral malaquita com carvão e cinzas -, que servia para realçar os olhos, foram encontrados em vasos nas tumbas de Menes, faraó da primeira dinastia egípcia, de cerca de 3000 a.C.

Rouge

Pode ter sido na Grécia Antiga que surgiu o primeiro antepassado do rouge. Segundo relatos do dramaturgo Aristófanes, na Atenas do século V a.C. as mulheres já utilizavam matérias-primas como gordura e tinta vermelha para produzir esse tipo de efeito corado nas faces. A tintura era obtida de raízes vegetais.

Batom

Também na Roma Antiga, as mulheres misturavam ingredientes como papa de cevada, chifre de veado moído, mel e salitre para produzir pastas à base de gordura que eram aplicadas nos lábios, como um batom primitivo. Mas, nessa época, isso servia mais para proteger os lábios do ressecamento do que para embelezá-los.



O hábito de se maquiar difere de país para país. As americanas não saem de casa sem maquiagem, as europeias também, mas a maquiagem é mais discreta. As árabes sempre procuram realçar os deslumbrantes olhos. As indianas não dispensam o kajal e o bindi, aquele pequeno círculo colorido usado entre as sobrancelhas. Para as brasileiras a maquiagem é para enfeitar e não para esconder a pele.



Fonte: http://www.infoescola.com



Adaptação: Angélica Pinheiro

Nenhum comentário :

Postar um comentário