Revista Galaxy: Entrevista com Guilherme Leicam

23 abril 2014

Entrevista com Guilherme Leicam

Batemos uma ideia com o Laerte, ou melhor, Guilherme Leicam, o gato do momento. Borá conferir?


1- Seu primeiro trabalho de destaque foi em uma novela das 7 na Globo, "Tempos Modernos", qual foi a sensação dessa "conquista"?
Eu estreei na televisão com um ótimo personagem, graças a Deus. O Led de tempos modernos era um personagem de forte carga dramática. Pena a novela não ter feito muito sucesso. Mas, para mim individualmente, foi um grande começo como ator.

2 - Já sentiu e se já, ainda sente, ansiedade antes de gravar?
Sempre, quando não estiver sentindo essa ansiedade não aceito o personagem. Estou num momento da minha carreira que só aceito personagens que me desafiem, que me jogue em regiões desconhecidas. Nesse momento sou só ansiedade em relação ao meu personagem em Buu, além do lançamento do meu primeiro CD nos próximos meses. Minha carreira de cantor já era um sonho, mas se tornou uma exigência do diretor Jayme Monjardim quando me viu cantando minhas músicas no intervalo das gravações. 

3 - Em malhação você já entrou no meio da história, como foi a recepção do público e dos próprios atores?
Foi ótima, um processo muito natural pra mim. O Guilherme Prates a quem substitui tornou-se um grande amigo meu, assim como todo resto do elenco, agora mesmo tive o prazer de trabalhar com a Alice. O Luiz Henrique Rios trabalhou com muita delicadeza essa transição, ele teve a sabedoria de não fazer nada traumático, e eu me beneficiei disso.

4 - Como foi atuar ao lado da Bruna Marquezine?
Uma das melhores experiências da minha vida, tudo que um ator precisa é de uma grande atriz. Bruna foi fundamental para que eu atingisse toda voltagem emocional do Laerte. Além de ser uma ótima companheira nas rodas de violão com todo o elenco.

5 - De todos os personagens que você já fez, qual mais parece o com você?
Led, ele tinha um senso ético exacerbado e essa era inclusive a fonte de seus conflitos, com a mãe que supostamente tinha "o abandonado". Além disse ele tinha um ponto incomum comigo, que é o gosto pela música, adorava fazer as cenas em que ele tocava violoncelo, instrumento que um dia ainda irei dominar.

6 - Como separa a vida pessoal da profissional? É difícil?Aprendi a não fazer uma separação tão radical. O fato de ser uma pessoa famosa tem repercussões na minha vida pessoal, isso é inevitável quando se está em um meio tão importante quanto à televisão, isso tem um lado bom e um lado ruim. Mas o lado bom é infinitamente superior, adoro dar atenção ao meu público e não me chateio com o assédio da mídia. É natural que as pessoas queiram saber minha visão da vida e daquilo que me acontece.

7 - Deixe um recado para os leitores da Revista Galaxy
Tive muito prazer em dividir algumas palavras com vocês, adoro que vocês acompanhem meu trabalho.


Adoramos conversar com ele, o que vocês acharam?
Beijinhos!!

Nenhum comentário :

Postar um comentário